Ouvir Pausar

O investimento em educação tecnológica ou edtech acelera seu crescimento após a pandemia

A educação tecnológica se tornou um dos setores que mais ganhou investimento em tempos de crise.

O investimento em educação tecnológica ou edtech acelera seu crescimento após a pandemia
Banco de imagem

A Edtech representa uma nova área para elevar a qualidade do ensino, situação que atrai mais investidores interessados ​​neste novo setor.

Com o confinamento social, a necessidade de continuidade das aulas em casa e a aplicação de tecnologia aceleraram a incursão de pequenas empresas especializadas em educação personalizada.

Nos últimos meses, mais startups surgiram com foco na melhoria da qualidade da educação e na apresentação de materiais interativos. De acordo com o Laboratório do IAB, a crise da saúde permitiu uma nova oportunidade para fortalecer os recursos e o sistema educacional nos países da América Latina.

A educação tecnológica é uma oportunidade para fortalecer o vínculo entre crianças e jovens com as escolas, por meio da implementação de ferramentas mais interativas e plataformas digitais. Esta área tem potencial para crescer em longo prazo e não apenas como um negócio que cresceu devido à conjuntura da pandemia.

Startup em Edtech na América Latina

A educação tecnológica ou edtech é uma das áreas pouco capitalizadas nos últimos anos na região da América Latina. Antes da crise de saúde devido à pandemia por COVID-19, esse setor representava 4% do investimento de capital privado da região, segundo dados da LAVCA (Associação Privada de Capital e Investimentos da América Latina).

Com o novo normal, cada vez mais as pequenas empresas da América Latina aproveitaram este setor como uma oportunidade para inovar e impulsionar o sistema de ensino, além das empresas, que mudaram os serviços para Home Office e acabaram optando por adotar o método de trabalho de forma definitiva.

O surgimento desse tipo de empresa está centrado em países como Colômbia, México e Brasil, segundo a pesquisa LAVCA. Que se caracterizam por ter um ecossistema empreendedor em desenvolvimento.

A pesquisa LAVCA de Startups da Edtech na América Latina afirma que as medidas de contenção do contágio da Covid-19 impulsionaram esse tipo de modelo de negócio.

Na mesma pesquisa Lavca, especifica que pelo menos 50% das empresas consultadas admitiram que seus negócios cresceram durante a pandemia; no entanto, 70% admitiram que a captação de capital continua sendo uma das principais barreiras ao seu desenvolvimento.

Capital para educação em tecnologia

As empresas edtechs tornaram-se uma alternativa de investimento para inovar o sistema educacional. Segundo dados da LAVCA, essas empresas predominam as que estão em estágio inicial.

Por sua natureza, eles precisam de capital para começar a operar e, para resolvê-los, levantaram recursos por meio de um mecanismo combinado entre capital privado, family office, investidores anjos e capital dos próprios fundadores.

O estudo LAVCA são as alternativas de investimento encontradas pelos edtechs na região:

  • 70% investidores iniciantes.
  • 66% dos fundos de private equity da América Latina.
  • 43% possuem fundadores de empresas.
  • 33% family offices.
  • 27% aceleradores.

Essas empresas encontraram nos fundos de private equity uma alternativa para crescer e ao mesmo tempo representar uma alternativa para os investidores.

No futuro, essas edtechs ainda enfrentarão desafios regulatórios no que diz respeito ao seu desenvolvimento e se posicionar como um elemento complementar ao sistema educacional atual. 

Ao entrar em contato com uma instituição de tecnologia, você poderá conferir quais os cursos mais procurados do mercado.