Ouvir Pausar

São José da Barra em Minas Gerais receberá a 1ª Mostra Tunin de Teatro de Rua

São José da Barra em Minas Gerais receberá a 1ª Mostra Tunin de Teatro de Rua

Entre os dias 31 de maio e 06 de junho de 2021, a pequena cidade de São José da Barra em Minas Gerais receberá a 1ª Mostra Tunin de Teatro de Rua, trazendo atividades online e cortejos presenciais pelas ruas da cidade.

São José da Barra, conhecida como Nova Barra, é um município mineiro, geograficamente situado na microrregião de Passos e na mesorregião Sul/Sudoeste do Estado, localiza-se as margens do Lago de Furnas e próximo a Serra da Canastra, o que lhe confere um grande potencial turístico em ascensão.

Turistas de todo o Brasil buscam a região para conhecer as imperdíveis belezas naturais, como o Camping Paraíso Perdido (a 19,2 km de São José da Barra), os Cânions de Furnas (aprox. 16 km da cidade), Mirante Hidrelétrica de Furnas, Cachoeira do Filó, e as inúmeras cachoeiras ao longo da Serra da Canastra, além das fazendas de produção de queijo, cachaça e doces artesanais, caraterísticos da região e reconhecidos mundialmente.

A 1ª Mostra Tunin de Teatro de Rua, idealizada por Sabrina Moura, visa despertar nos mais jovens, e ao mesmo tempo, resgatar nos mais velhos, o gosto pela arte e pelas manifestações culturais, iniciando-se assim, uma demanda por arte teatral, formando um público consumidor e produtor de artes cênicas no município.

O evento também tem também o objetivo de inserir a cidade no contexto mineiro de mostras culturais. “São José da Barra está carente de manifestações artísticas e a mostra tem como princípio ir até o povo, levando arte, envolvendo e encantando. As dificuldades são muitas, mas a vontade de fazer algo novo pela cidade é maior”, relata Sabrina.

Devido a pandemia da Covid-19, não será possível a execução da mostra como planejado, ou seja, com peças teatrais fixas, com público sentado, mas os grupos teatrais passarão pelas ruas, em forma de cortejo, levando música e alegria e sem aglomeração. A orientação continua sendo “Fique em casa, não aglomere e use a máscara!”.

Para apreciar, basta que as pessoas abram suas janelas, se dirijam as suas varandas, sacadas, ou calçadas, ou ainda, assistam de dentro de seus carros estacionados no trajeto do cortejo, mantendo o distanciamento social necessário.

“Além destas ações que ocorrerão nos dias do evento, intervenções urbanas com palhaços e serenatas ao público idoso fazem parte da programação. “Durante o período de pré-produção, foram identificados os endereços de alguns moradores idosos da cidade, e nestas semanas que antecedem ao evento, estes estão recebendo serenatas com músicas populares e declamação de poesias em suas portas e janelas e o registro destes momentos serão apresentados na semana da mostra pelo canal do Youtube”, explica Sabrina.

A intervenção urbana foi realizada pelo grupo Tá na Cena (Passos, MG) e as serenatas pelo cantor Ismael Cardoso (São José da Barra, MG).

Da Damião e Cia, Brigite e Begônia apresentarão esquetes de palhaços, e a série Cidão, o Turista 100 noção, que relata as aventuras de um turista todo atrapalhado em uma visita a São José da Barra.

A Mostra traz também muitas atividades online: palestras, bate-papo, aulão, entrevistas e oficinas com importantes artistas e defensores da arte pública do Brasil, sendo eles:

Amir Haddad, mineiro de Guaxupé, residente no Rio de Janeiro, que vêm a mais de quatro décadas defendendo a importância da arte pública. Como ator, diretor e pesquisador das artes da cena desde a década de 70, desenvolveu seu trabalho pesquisando a utilização dos espaços públicos abertos e a interação dos artistas com os espectadores como forma de desconstrução da dramaturgia e possibilidades não convencionais de encenação. Em 1980, Haddad funda a “Tá na Rua”, companhia teatral que dirige até os dias atuais.

Paulo Flores e Tânia Farias, da tribo de atuadores do grupo gaúcho “Ói Nóis Aqui Traveiz”, um dos mais importantes grupos de teatro de rua do Brasil. Paulo, além de criador do grupo, é também ator e diretor teatral e Tânia é atriz, encenadora, figurinista e atuadora. Além disto, ela também é ativista e articuladora da ATAC - Articulação dos Trabalhadores das Artes da Cena e está a mais de duas décadas levando para os palcos das ruas o teatro social e acessível a todos.

André Carreira, outro nome que traz brilho à Mostra, Doutor em Teatro pela Universidad de Buenos Aires (1994). Realizou pós-doutorado junto a Richard Schechner (NYU) em 2011, e pós-doutorado com Óscar Cornago em 2017/18 (Espanha). E está sob sua responsabilidade o chamado “Aulão Inaugural”, que ocorrerá na forma online, onde o mesmo nos trará um pouco da sua vasta experiência sobre o teatro de rua, adquirida ao longo de sua sólida carreira como pesquisador, professor universitário, escritor e diretor teatral. Entre seus feitos podemos citar a direção de espetáculos em espaços urbanos, entre eles o reconhecido “Das Saborosas aventuras de Dom Quixote de la Mancha”, espetáculo premiado pelo Premio Miriam e Palco Giratório. É de sua autoria os livros “Teatro de Rua: Uma paixão no asfalto” e “Teatro de invasão: a cidade como dramaturgia”, ambos pela Editora HUCITEC.

“Amir, Flores e Carreira e suas pesquisas me orientaram para desenvolver este projeto e me sinto muito lisonjeada em saber, que eles estão agora aqui, nesta tão sonhada Mostra, que reúne estes meus admirados mestres e tantos amigos”, diz Sabrina.

Este encontro inaugural terá a presença especial de Douglas Novaes e do grupo de teatro campineiro, Os Geraldos.

Ribamar Ribeiro, do grupo “Ciclomáticos” (Rio de Janeiro) e Mirtthya Guimarães, do grupo “Quem tem boca é para gritar” (João Pessoa, Paraíba) ministrarão as oficinas sobre dramaturgia para a rua e o trabalho do ator e atriz para o teatro de rua.

Na Mostra também vai rolar um bate-papo sobre a obra de Plínio Marcos, Homens de Papel, com o diretor, ator e professor de teatro Robrigo Polla uma palestra sobre o congado com a jornalista e professora universitária Adriana Dias e uma entrevista exclusiva com Ricardo Clementino, produtor executivo de grandes artistas brasileiros.

Faz parte também da programação online a exibição do documentário “Histórias de Sem Réis” do Alfenim Coletivo de Teatro, também de João Pessoa, Paraíba.

Os cortejos presenciais contarão com a presença da Trupe Ventania da cidade de Passos, MG e da CHAP – Companhia Horizontal de Arte Pública da cidade do Rio de Janeiro.

Toda programação está disponível pelo Facebook e Instagram @mostratunin . Para realizar a inscrição nas atividades é necessário acessar o link de inscrição linktr.ee/mostratunin disponível na bio do instagram e pela plataforma de cursos,  Bastidores: https://bastidorestreinamento.com/cursos/i-mostra-tunin-de-teatro-de-rua/

Para concluir, Sabrina explica o nome dado à Mostra: “Sempre fui apaixonada pelas manifestações populares, meu avô, Antônio Barbosa, conhecido na Nova Barra como Tunin Barbosa, foi um grande apreciador das folias de reis e outros grupos populares. Ele sempre fazia festa quando um folião chegava em sua casa, pedia para comprar bolos e fazer café. Trabalhando com produção cultural vejo que herdei muito dele e de sua paixão pelas artes do coletivo”.

Este é um projeto realizado com recursos da Lei 14.017 (Lei Aldir Blanc) através do Edital LAB 16/2020 - Seleção de Mostras e Festivais Artísticos e Culturais – SECULT MG -  Governo do Estado de Minas Gerais.