Ouvir Pausar

14 negócios fáceis para empreender individualmente

Em algum momento você sonhou em começar seu próprio negócio? Pode ser que você esteja desempregado e quer imediatamente gerar seu próprio capital. Pode acontecer de você estar infeliz no seu emprego atual e quer modificar para algo que te encante. Independendo de qualquer coisa, obter um negócio seu, pode ser um excelente rumo.

14 negócios fáceis para empreender individualmente

Para ser um empreendedor, é necessário estar esperto para correr atrás de um resultado que nem sempre é simples, além disso, é preciso ter convicção no seu negócio.

Empreender sozinho é mais fácil que iniciar uma empresa mesmo que seja de pequena. Isso uma vez que o MEI (microempreendedor individual) é mais fácil para ser legalizado, reproduz menos gastos em impostos e não precisa da contratação de funcionários, aluguel de avantajados pontos comerciais. Tudo pode ser realizado individualmente e, em alguns casos, na sua própria residência.

No entanto, o empreendedorismo é sempre difícil. Ainda que as possibilidades de obter o sucesso sejam grandes, é necessário estar disposto para empecilhos no decorrer. “O ‘não’ será a palavra que você mais vai ouvir, ganhar diversos ‘nãos’ e, com isso, pensar em uma estratégia para alcançar os ‘sims’. Mas, isso só ocorre com o tempo, depois de muita garra.” diz Luís Lourenço, CEO do Plug CRM.

Organização, empenho, estudo e concentração em cada passo, não devem ser esquecidos. Tenha consciência que você é sua própria lider e não quer dizer que pode isentar-se do seu papel! As responsabilidades no empreendedorismo são grandes e inteiramente suas e o sucesso procede de você.

14 ideias de microempreendimentos

Investir em um microempreendimento não é fácil e vai exigir muito de você. Mas, as recompensas podem valer muito a pena! Além de não ter que se preocupar com regras impostas por outros, é possível fazer o seu próprio horário e ter um bom rendimento financeiro.

No momento de optar pelo que fazer, é interessante levar em consideração o que você mais se identifica e o conhecimento no âmbito que planeja trabalhar, o quanto consegue investir (em dinheiro e tempo) e se sua localidade tem público para consumir seus serviços ou produtos.

Veja algumas dicas para investir em um micro empreendimento.

1. Vender produtos por catálogo

Ser vendedora de alguma marca por catálogo é uma forma fácil que você pode aproveitar para ter uma renda extra, ou como ganho único. Diversas marcas e empresas fornecem esse recurso, o que trás grande diversidade no mix de produtos – perfumes, utensílios, joias, cosméticos, acessórios e bijuterias.

Para torna-se vendedora, primeiro você tem que optar por uma marca e verificar como é a maneira de afiliação. Não se esqueça que é fundamental ler cuidadosamente os termos e condições da marca! Com o produto em mãos, sua principal atividade será achar clientes e fazer a venda.

Abaixo, algumas marcas que atuam com o esquema de consultoras e revendedoras:

2. Fazer alimentos para vender

Caso você goste de cozinhar, vender alimentos pode ser uma boa opção. Afinal de contas, o ramo alimentício é um dos mais estáveis no país, o que assegura uma demanda frequente. Entre as possibilidades para arriscar estão bolos, pães, salgados, doces, refeições em marmitas, pizzas, saladas de frutas, entre outros.

Desta maneira, além de analisar qual a melhor forma para alcançar os consumidores, é importante observar a qualidade dos alimentos e ingredientes usados na produção. A ANVISA tem três divisões: alimentos que requerem somente um aviso de fabricação, alimentos que tem que ser registrados antes de vender e alimentos livres de aviso e de registro. É importante procurar informações no portal da ANVISA ou no órgão de vigilância sanitária antes de um veredito.

3. Cuidar de animais de estimação

Para quem gosta de animais e está motivado a estudar e entender um pouco mais sobre como cuidar deles, é uma ótima opção. Algumas atividades disponíveis são: dar banho, ficar com ele em momentos que seus donos estejam ausentes e levar o cachorro para dar uma volta. É necessário estar atento para assegurar o bem-estar do animal.

4. Costurar

Fabricar roupas sob encomendas ou fazer pequenos restauros em roupas já prontas também pode ser um empreendimento interessante. Para isso, é fundamental investir no dispositivo essencial, além de equipamentos como agulhas, botões, linhas e outras ferramentas. Realizar cursos de costura e corte é um bom investimento para aprimorar suas habilidades e qualificar seu serviço.

5. Fazer maquiagens e penteados

Trabalhar como cabeleireira e maquiadora sem ter um estabelecimento propriamente dito, é um serviço que pode obter um excelente público. É aconselhável realizar cursos profissionalizantes, e organizar uma maleta de maquiagens que atenda a diversos perfis de pessoas.

6. Fotografar profissionalmente

Quem gosta e tem jeito para fotografar, se possível, é importante realizar cursos na área para fotografar eventos e ensaios. Fiquem cientes que equipamento para um fotografa profissional tem alto custo e será necessário investir em lentes, tripés, iluminação e principalmente na câmera.

7. Fabricar e vender artesanatos

Se você tem talento para artesanato, você pode empreender nessa área. No artesanato o que conta é a criatividade: crochê ou peças de tricô, brindes para eventos, peças para decoração e diversas outras coisas. Os materiais utilizados na fabricação não costumam ter um alto custo, o seu maior investimento vai ser no tempo para a produção da mercadoria. Nos dias de hoje existem plataformas como o youtube, cheia de dicas de como fabricar um produto artesanal.

8. Fábrica de produtos de limpeza

Uma fábrica de produtos de limpeza certamente é um bom empreendimento, pois muitas pessoas utilizam desses produtos para deixar sua residência ou empresa bem limpas e cheirosas. Existem mesmo até cursos nos dias de hoje, ensinando passo a passo de como abrir uma fábrica de produtos de limpeza.

9. Serviços profissionais de limpeza

Algumas pessoas têm dias cheios de obrigações, o com isso acabam precisando dos serviços profissionais de limpeza depois de um evento, ao fim de uma obra, para lavar o carro e até mesmo limpeza de acolchoados. Talvez o seu único desafio nesse empreendimento seja conseguir clientes e passar confiança para eles. Os materiais não necessitam de um alto investimento.

10. Serviços de DJ

Para ser um DJ, você não pode somente gostar de música, você também tem que procurar por cursos que vão te qualificar na área, e, além disso, disponibilidade de horário, principalmente a noite. Conforme o tipo de evento que você for trabalhar, será necessário realizar investimentos em equipamentos, alguns mais baratos e alguns mais caros.

11. Manicure e pedicure

Para ser manicure e pedicure, não é necessário ter um salão. O importante é ter um serviço de qualidade e uma variedade de produtos como esmaltes de várias cores e qualificados, lixas, alicates, algodão e acetona (removedor de esmaltes). Para não ter o risco de contaminação entre clientes é fundamental a higienização adequada de alguns objetos como o alicate.

12. Instalações em geral

Para realizar serviços de instalações é interessante fazer um curso profissionalizante na área elétrica assim atuando com segurança para você e seus clientes. Existem serviços mais simples que somente com conhecimento você consegue realizar como configuração de wifi, montagem de armários, entre outros. Seu investimento vai ser geralmente em algum curso ou em ferramentas.

13. Blogs e YouTube

Pessoas que se comunicam facilmente são carismáticas e criativas tem o perfil ideal para esse tipo de empreendimento. O mundo da internet vem crescendo cada dia mais, e com isso os blogs e canais no youtube ganham muita visibilidade, atraindo o interesse de empresas, e através de parcerias ou anúncios para tal empresa, você consegue ter um bom rendimento.

Contudo, já existe um grande número de canais e blogs, e para você ganhar o seu espaço é necessário ter um diferencial em conteúdo ou assunto.

14. Montar uma loja virtual

Assim como a internet, o e-commerce também apresenta um crescimento constante, e você pode beneficiar-se começando sua loja virtual. Para ter sucesso no negócio, é necessário estar ligado a questões como: de que maneira responder as solicitações dos clientes, embrulhos para os produtos serem enviados, idas aos correios, e a disponibilidade de mercadorias em estoque. Além desse investimento é essencial apostar em um site que facilmente os clientes encontrem o produto que deseja e com imagens de qualidade.

Estude sobre algumas plataformas de vendas virtuais e opte por uma que tenha mais a cara do seu público-alvo e as mercadorias que pretende comercializar.

Microfranquia x negócio pronto: como decidir?

A franquia é uma das opções para quem quer investir no mercado. Esse tipo de investimento é diferente de um negócio próprio onde você começa do zero, pois o franqueado já inicia com o apoio de uma empresa, provavelmente junto de uma marca reconhecida e aprovada pelos clientes.

“Quando o empreendedor opta pela franquia contará com o beneficio de um negócio já consolidado, onde conseguirá procurar referência e obter até preparo sobre como atuar, conforme cada franqueador. Tem uma assistência maior do que quando inicia um negócio próprio”, assegura Maria Alice.

Ainda assim, você não fica livre de responsabilidades, após ser franqueado, as responsabilidades da repartição viram a ser suas também. Aliás, a partir do investimento na franquia, você tem que estar apto a seguir as normas estabelecidas pela empresa.

“É fundamental analisar se você consegue se adequar ao método da franquia, uma vez que é necessário adaptar as regras contratuais determinada, esquecendo a independência para certas atitudes”, aponta a consultora.

6 opções de microfranquias

Acredita que seu perfil se encaixa em franquias? Se as franquias ajustam com o que você almeja, esse investimento pode obter grandes resultados. Verifique algumas microfranquias em diversos segmentos que concedem o trabalho em home office e pessoal:

  • Ahoba Viagens: a empresa é uma agência de turismo em que todo o atendimento ao cliente é feito via internet, por texto, voz ou vídeo. Para franquear-se, o investimento total sai a partir de R$ 4.500,00.
  • Zets: é uma franquia de lojas virtuais. A empresa disponibiliza vários tipos de mercadoria para a venda; a função do franqueado é divulgar sua loja virtual e conseguir as vendas, sem necessitar guardar estoque em casa. Toda a etapa de processamento do pedido, do pagamento e do envio é feita pela franqueadora. O investimento sai a partir de R$ 20.000,00.
  • Tutores: é uma rede que disponibiliza serviço de tutoria para qualquer etapa escolar. Formados em letras, matemática, história, geografia, pedagogia, ciências biológicas e outras áreas podem ser franqueadas. O investimento total é de a partir de R$ 20.0000,00.
  • Quinta Valentina: essa marca trabalha com venda direta e personalizada de calçados femininos de fabricação própria. O modelo não exige loja, os produtos são levados até às clientes. O investimento é de R$ 16.000,00.
  • Web4br: é uma agência que disponibiliza aos clientes serviços digital profissional – desenvolvimento, hospedagem e manutenção de sites para pequenas e médias empresas. A função do franqueado é conseguir clientes, ficando a cargo da franqueadora a parte técnica do serviço. O investimento inicial é de R$ 8.000,00.
  • Light Depil: a empresa trabalha o conceito de depilação delivery, feita na casa da cliente. Os serviços oferecidos são depilação à luz pulsada, com cera e bronzeamento artificial. O investimento sai a partir de R$ 11.900,00.

Passo a passo: como legalizar a situação como MEI

De acordo com a atuação, é realizável iniciar o negócio de modo informal; mas, adiantar um modo formalizado e legalizado pode dar frutos mais relevantes para o empreendimento.

Foi instaurada a formalização para o microempreendedor individual em 2009. De acordo com os dados do Sebrae, em 2014, já tinham sido formalizados 4,1 milhões de microempreendedores brasileiros.

Confira que passos seguir para formalizar o trabalho como MEI:

1. Confira se você preenche os pré-requisitos

Para se cadastrar como microempreendedor individual é preciso estar compatível com as seguintes condições:

  • Ganhar no máximo R$ 60.000,00 por ano;
  • Não ser dono e nem sócio de outra empresa;
  • Possuir no máximo um funcionário contratado ou trabalhar sozinho;
  • Não possuir filial.

Caso você fature mais de  R$ 60.000,00 por ano, seu empreendimento será inserido no grupo de microempresa.

2. Solicite a formalização no Portal do Empreendedor

Através do Portal do Empreendedor é possível realizar a legalização do MEI gratuitamente. Para a formalização é necessário informar os números do CPF, do título de eleitor, da carteira de trabalho e o endereço. Depois desse cadastro, o CNPJ e o número de inscrição na Junta Comercial já são gerados. A prefeitura é responsável por confirmar a legalização em no máximo 180 dias.

Além de a legalização ser realizada pela internet, é também feita pessoalmente em alguns locais. Para ter conhecimento do mais próximo pra você, solicite informações ao SEBRAE através do telefone 0800 570 0800.

3. Atente-se às obrigações fiscais

Depois que o negócio foi formalizado, é necessário recordar que há obrigações a serem feitas. “As obrigações fiscais para o MEI são facilitadas – o empreendedor tem direito a carga tributária diminuída e realiza o pagamento de carnê mensal, com preços definidos durante o ano”, sinaliza Maria Alice.

Além do mais, caso decida contratar um funcionário, a remuneração deve estar conforme o valor do salário mínimo atual ou o piso do cargo. Os requisitos previdenciários e trabalhistas também tem que ser pagos.

8 dicas para empreender sem medo

1. Conheça o mercado em que quer atuar

“Saber sobre o negócio que você planeja atuar é essencial. Então, o empreendedor necessita procurar informações sobre a área e usa-lás para refletir sobre a forma de negócio; ou seja, como o mercado será organizado para fornecer as mercadorias e serviços aos clientes, valor de venda, qual o diferencial, qual o meio de venda, organização de custos, dentre outros”, esclarece Maria Alice.

2. Construa um plano de negócios

Independente do negócio, é necessário organização para chegar a bons resultados. Um dos primeiros passos é o plano de negócios para o início de um empreendimento. Guarde um tempo para anotar tudo: “dar detalhes sobre a execução do negócio, custos, produtos e serviços, estudo de probabilidade econômica e financeira, lançamento de fluxo em caixa”, assinala a consultora do SEBRAE.

3. Não espere resultados imediatos

“Como em todo empreendimento, o início terá um menor resultado e exige muito trabalho para obter novos clientes e ganhar reconhecimento. Não se colhe frutos imediatamente  - é necessário planejar e reter uma reserva financeira até a empresa gerar recursos fundamentais para girar sozinha”, sinaliza Maria Alice.

4. Formalize sua situação

Caso você se adapte como um microempreendedor individual, é valido procurar a formalização da sua atuação. “Aos olhos do cliente, a formalização te torna efetivamente um profissional. Com isso, você passa segurança, credibilidade e seriedade. Além disso, o processo para ser um MEI é simples, valerá a pena deixar o seu empreendimento mais profissional”, sugere Luís.

5. Venda e divulgue seu negócio na internet

Pouco importa sua área, a internet é uma plataforma muito forte na parte de divulgação. Além disso, é um meio muito acessível, já que não é preciso pagar por papel ou com compra de anúncios – toda divulgação consegue ser trabalhada de modo gratuito, ainda que tenham meios pagos pela internet.

6. Construa um bom relacionamento com seus clientes

Utilize plataformas de comunicação e tira um tempo para responder seus clientes e pessoas interessadas em seus serviços. Além de telefone e e-mail, forneça páginas em redes sociais e atendimento via Whats App.

7. Monitore o desempenho das suas ações

É necessário sempre atualizar o seu plano de negócios. Afinal, os negócios estão em constante mudança e as estratégias que funcionaram ontem, pode não funcionar hoje. “Se você determinou um objetivo, é necessário verificar se o caminho está correto. Controlar é acompanhar e consertar o rumo quando preciso”, finaliza a especialista.

8. Organize-se pensando no futuro

“Inicie pequeno, mas raciocinando como grande: ajeite suas chances de negócio, seu marketing, seu financeiro. Deixe tudo anotado e atualizado. Assim, brevemente você pode estimar os próprios resultados e incia a construção de sua base. Em pouco tempo você terá informações e equipamentos para determinar melhor sua estratégia de investimento e crescimento”, alega Luís.