Ouvir Pausar

Saúde bucal e pandemia: Entenda essa relação

A boca é a entrada principal para o corpo. Assim, cuidar da saúde bucal na pandemia é essencial para evitar a contaminação pelo vírus da COVID-19, além das bactérias que se aproveitam quando a higienização e limpeza não são apropriadas.

Saúde bucal e pandemia: Entenda essa relação
Banco de imagem

Para as pessoas que possuem comorbidades, esses cuidados devem ser redobrados. Diabéticos, hipertensos e obesos precisam seguir todas as normas indicadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e as regulamentações impostas pelos governos.

O Ministério da Saúde, em conjunto com as secretarias estaduais e municipais, está abastecendo centros de pesquisa relacionados à pandemia causada pelo vírus da COVID-19. Inclusive, muitos estudos apontam que os danos vão além da cavidade bucal.

Dessa forma, é preciso estar atento aos sintomas apresentados pelos pacientes, reforçando a segurança de higienização, principalmente, quando é necessário fazer uma visita ao consultório odontológico.

Uso de máscaras não prejudica saúde bucal

Uma das primeiras soluções apresentadas por especialistas para evitar a contaminação em massa foi a indicação para o uso de máscaras faciais, afinal, o vírus utiliza as vias aéreas para se estabelecer no corpo humano, e esse acessório serve como barreira.

Pensando nisso, todo mundo da área da saúde, inclusive os profissionais do ramo odontológico, devem utilizar os equipamentos de segurança, como:

  • Máscara sobre a boca e nariz;
  • Face Shield (equipamento de proteção dos olhos e do rosto, não das vias respiratórias);
  • Óculos de proteção;
  • Luvas descartáveis;
  • Aventais descartáveis.

Isso porque, os dentistas tiveram que continuar lidando com pacientes, principalmente aqueles que fazem tratamento com aparelho de dente. Ou seja, garantir a sua segurança e a do próximo virou, praticamente, lei nos tempos pandêmicos.

Ademais, focando nos consultórios dentários, eles devem implementar uma grade de atendimento que:

  • Evite aglomeração na recepção;
  • Ofereça segurança para os pacientes;
  • Disponibilize álcool em gel para mãos;
  • Esterilize todas as ferramentas.

Ao trabalhar com todas as medidas de segurança, as chances de contaminação diminuem bastante, seja para o profissional especialista ou para o paciente que está passando por algum tratamento, seja clareamento, implante ou colocação de aparelho ortodôntico.

Escovar os dentes com acessório exclusivo 

O momento da escovação dos dentes é individual e não deve ser compartilhado com ninguém, principalmente quando o mundo está passando por um momento tão delicado, quanto este de pandemia. 

Mesmo quando é uma simples gripe ou um resfriado, a escova de dentes deve ser preservada de maneira segura, em ambiente livre de vírus e bactérias, bem como deve ser de uso de uma única pessoa. 

Ademais, a higienização dos dentes deve ser ainda mais presente nesse período de pandemia, tendo feito um tratamento de clareamento dental ou não, pois as cerdas podem acumular vírus e bactérias se não forem limpas após a escovação.

No caso de armário de banheiro compartilhado, caso alguma pessoa apresenta sintomas de COVID-19, é preciso isolar a escova em um local adequado, longe de outros acessórios de uso comum, como fio dental e enxaguante bucal.

Problema de gengivite pode agravar sintomas

A dor de dente pode surgir a qualquer momento, pois muitas vezes uma pequena fissura na gengiva é imperceptível e se cicatriza com o tempo, sem a pessoa perceber. 

Como a COVID-19 está em fase de estudos e pesquisas, qualquer percepção sobre um problema na gengiva, levando à gengivite ou outras doenças periodontais, deve ser levado ao conhecimento de um profissional da área de odontologia.

A presença da lente de contato dental não é um causador desse tipo de problema, mas a falta de higienização ou mesmo alimentos prejudiciais à saúde bucal podem provocar um agravamento dos sintomas da COVID-19.

Peças substitutas não protegem contra COVID-19

A maior proteção contra esse vírus que se alastrou pelo mundo em 2020 está no isolamento social, no uso de máscaras sobre o nariz e a boca, e higienização das mãos com álcool apropriado.

Ter um implante dentário, ou uma prótese substituta não é justificativa para não tomar os devidos cuidados ou se abster em utilizar uma máscara.

No mais, é importante seguir as normas estabelecidas quanto aos cuidados que podem evitar a disseminação do vírus que causa a COVID-19. 

Manter o distanciamento social, utilizar máscaras sobre a boca e o nariz em locais públicos e evitar sair de casa.

Caso alguma pessoa que mora na mesma casa esteja infectada, é preciso isolá-la em um cômodo arejado, com toda a assistência possível. 

Separar todos os utensílios que serão usados, além de isolar a escova de dentes dos outros moradores.

Em casos mais graves, o ideal é procurar um centro hospitalar mais próximo e seguir o encaminhamento protocolar, para a rápida recuperação e retorno para a família. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações e conteúdos sobre os cuidados com a saúde física e mental.